terça-feira, 11 de novembro de 2014

Slow living - Um modo de vida

As pessoas têm cada vez menos tempo para o que é verdadeiramente importante. A  sociedade, o trabalho, as próprias pessoas  exigem que se viva constantemente a 100 à hora. Prazos de entrega, horários, pressões, limites, tudo criado pelo ser humano, tudo tem de ser já, agora, imediatamente. Ora, da última vez que vi, fazer um filho continua a demorar 9 meses, o Natal é em Dezembro, no verão há sol e continuamos a ter de nos alimentar para viver. Então expliquem-me por que razão tantas pessoas se lamentam por falta de tempo?? Compreendo que as prioridades sejam diferentes de pessoa para pessoa, mas há que relativizar e dar prioridade ao que é realmente importante. Durante a hora de almoço, em vez de irem ver as montras, vão para um local calmo, com um bom livro e saboreiem uma refeição leve, ou podem dar um passeio num jardim ou na praia quando a meteorologia o permite. Não vale a pena passar horas no emprego para poder ter dinheiro para comprar mais um telemóvel, um carro igual ao do vizinho ou roupas "de marca" (adoro esta expressão, é tão suburbana). Estamos de passagem por este planeta, esta vida, e quando partirmos, não levamos nenhum bem material connosco, mas levamos todo o amor que por cá vivemos.
Há muito que sou adepta do slow living, uma forma de estruturar a nossa vida em torno de algo com significado e que nos preenche. Dar prioridade a uma qualidade de vida. O desejo de viver uma vida mais equilibrada e alcançar uma sensação de bem estar e de "mindfulness".
Viver melhor, viver zen. Relativizar, fazer as coisas com calma, não querer fazer 10 tarefas ao mesmo tempo, apagar a televisão, ler um livro, brincar com os filhos, passear os cães na praia, tornar o quotidiano mais leve, abrandar o ritmo para ter tempo de olhar em redor e ver verdadeiramente quem e o que nos rodeia. É um modo de vida muito interessante. Experimentem e vão ver que vão passar a ter tempo.






30 comentários:

  1. Acho que de uma forma inconsciente, é assim que vivo:) só não sabia que tinha um nome ;)
    Bj e parabéns pelo blog!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E assim aproveitamos o bom que a vida tem para nos oferecer.
      Obrigada :)
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Sabes, por isso é que eu prescindo de ter uma série de coisas que são modernas e caras, para poder ter quem me faça umas horas lá em casa, para depois do jantar poder ter tempo de qualidade com as minhas Ms. e, depois dee elas se deitarem com o M. pai.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sou a favor de tudo o que nos possa dar mais tempo para aproveitar quem amamos e o que gostamos de fazer :)

      Eliminar
  3. Sei disso, há muito que tento é até já consegui, mas neste momento estou novamente envolvida...o tempo, o trabalho mandam em mim...perdi-me e não consigo sair. E estou a tentar conquistar esse modo de vida novamente, mas não tem sido fácil...mas eu chego lá! Obrigada :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, por vezes não é fácil. Mas se em tempos já conseguiste, acho que vais conseguir recuperá-lo, é só uma questão de organização e de gestão de prioridades. Não te deixes engolir pelo trabalho, não vale a pena.
      Não tem de quê :)

      Eliminar
  4. É tão difícil :). Eu sou daquelas pessoas que pensa em tudo demasiado.... pondero montes de variáveis, ocorrem-me "n" hipóteses e "n" consequências para cada coisa que faço. Admito que ser uma control freak me cansa um bocado, mas ando a esforçar-me para mudar :).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ui, ser control freak não é nada bom, vais chegar a um ponto em que vais explodir, ou implodir, que é mais grave. Larga um pouco as rédeas, descontrai. Vais ver que a vida em slow motion é muito mais agradável :)

      Eliminar
  5. Não é fácil porque, muitas vezes, não depende só de nós. Mas tento, à minha maneira, ir vivendo de uma forma mais calma. Uma coisa é certa: desde que a baby nasceu tento ter tempo de qualidade com ela (a quantidade, essa, é a que a vida permite. Mas mais vale qualidade a quantidade...).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sei que não é fácil. Por vezes somos nós que complicamos, e temos de tentar mudar, outras vezes, são situações criadas por terceiros, e aí temos de pôr um travão e saber dizer não. É um processo que pode demorar, mas se formos fieis a nós próprios e aos nosso princípios, um dia conseguimos alcançar um estilo de vida calmo e de qualidade :)

      Eliminar
  6. Aplaudo de pé. Tento fazer desse o meu lema, embora me seja muito, muito difícil. Tal como a Cê, também sou um pouco control freak e corre-me nas veias a vontade de fazer tudo, ser tudo, conseguir tudo. Há pouco tempo, comecei a obrigar-me a parar, respirar, lembrar-me que nem posso estar em todo o lado, nem isso me traz, a mim ou a quem amo, algum benefício.
    É um exercício complicado, este de relaxar e deixar as coisas correr ao sabor do vento. Mas vale a pena :)

    estenaoeumbloguedemoda.wordpress.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu já fui control freak, e consegui mudar. Um dia fiz um burn out e fui obrigada a mudar. Percebi que só se vive uma vez e que não podemos perder tempo com coisas que no final são sem importância. Temos de por limites a certas pessoas e saber relativizar situações que à partida podem parecer complicadas, mas que no final quase que se resolvem por si só. Claro que é necessário fazer um trabalho de introspecção, aprender a largar as rédeas e deixar fluir. E a meditação também me ajudou muito :)

      Eliminar
  7. Não poderia estar mais de acordo. Disciplino-me, atenta, para não me deixar enredar no que não interessa e focada, vivo bem mais feliz.
    Aprendi com a vida, com os anos, com os desaires, com as conquistas que quase nada vale um minuto de angústia.
    Beijos. Tem um dia zen!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É tão bom viver em modo zen. E desde que tenho o Lucas consigo ser ainda mais zen e despegada de coisas e situações sem importância :)
      Beijo

      Eliminar
  8. Concordo contigo 100%!! Não é que não adore moda, ir a lojas comprar roupa nova etc mas sem o equilíbrio do resto que falas não dá para viver de forma minimamente equilibrada, o ser humano não foi feito para este stress todo :)
    Bj S

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, gostar de coisas bonitas não impede de viver uma vida mais zen :)
      Espero que já estejas melhor.
      Beijos

      Eliminar
    2. Ainda não estou a 100% mas já estou bem melhor obrigada ;) Desde pequena que fico KO quando estou mal da garganta!
      Bj S

      Eliminar
  9. Obrigada, querida! Vou experimentar a tua sugestão!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Há já muito tempo que essa é a minha forma de estar na vida! Fico contente por saber que tb pensas desse modo:) Beijinhos e boa semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :)
      Obrigada, boa semana para ti também :)
      Beijos

      Eliminar
  11. já te voltei a adicionar na minha lista de blogs. Com a mudança de nome do teu blog, ainda o não tinha feito... Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só hoje é que o teu blog apareceu na minha lista! Estava dificil:):) Bj

      Eliminar
  12. Ola Annabelle, obrigado pelo abanão... tens toda a razao, vale mais só que mal acompanhada... e vou fazer isso, afinal o meu destino é este a solidão...cansei de andar a mendigar o amor do J... nao o consigo perceber, ás vezes acho que brinca com os meus sentimentos. Detesto quando lhe falo de coisas sérias e ele desconversa. Ele diz que me ama, que gosta de mim. Mas não assume a relação. Cansei desta incerteza, eu preciso de colo, todos os dias... ando muito carente. Toda esta mudança de vida afectou-me. E sempre tentei não sobcarregar ninguem com os meus problemas, mas bolas eu não sou de ferro sou humana, e preciso daquele abraço forte em dias menos bons. Ás vezes acho que sou mimada, mas outros dias sinto que não e por isso vou protelando.Sou uma Tonta :/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O teu destino não é a solidão. Estás apenas numa fase em que precisas de te reconstruir, de aprender a viver só com a tua filha, precisas de aprender a confiar em ti e nas tuas capacidades, perceber que consegues fazer as coisas por ti, por vocês duas, e quando te sentires mais forte, de certeza que vai aparecer na tua vida a pessoa certa para ti. Se começas uma relação com alguém que sente que estás carente e mais frágil, podes ter o azar de calhar com um homem que abuse da situação por sentir que te pode manipular, e neste momento da tua vida não precisas de ninguém que brinque com os teus sentimentos. Penso que se ficares só por uns tempos, só te vai fazer bem. No fundo não estás só, tens a tua filha, os teus amigos, e quando for a altura certa, vais conhecer a pessoa que te vai fazer feliz :)
      Vá, head up princess, or the crown will fall ;)
      Abraço apertado.

      Eliminar
  13. Concordo totalmente contigo e agora acho que estou a conseguir entrar mais nesse ritmo... Acho que a gravidez e tudo pelo que passei este ano me fez abrandar mais. A maturidade também acho que nos ajuda a perceber o real valor das coisas mais simples da nossa vida e essas sim são de longe as mais importantes :)
    Adorei o texto, um beijinho.

    R de Rita

    ResponderEliminar

Comentários? Só se forem inteligentes ou pertinentes, se não for o caso...NEXT!